Projetos da Opensoft nos PALOP Notícia

Apesar dos efeitos da pandemia na economia global, a Opensoft, empresa portuguesa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas, tem desenvolvido diversos projetos estratégicos nos PALOP (países africanos de língua oficial portuguesa). A sua complexidade exige equipas de maior dimensão e com altas competências técnicas, o que leva a tecnológica a ter de reforçá-las. Desde março do ano passado, integrou cerca de 30 colaboradores, além de ter continuado a receber alunos para desenvolverem as suas teses de mestrado, mesmo em regime de teletrabalho.
Até ao final do ano, a Opensoft vai contratar cerca de duas dezenas de novos colaboradores para reforçar a sua equipa técnica: essencialmente engenheiros de ‘software’ e analistas funcionais com alguns anos de experiência ou recém-licenciados. José Vilarinho (na foto), o ‘chief executive officer’ (CEO), assinala: «A Opensoft desenvolve soluções tecnológicas com impacto direto na vida dos cidadãos, por isso procuramos profissionais que queiram abraçar projetos de grande escala, complexos e que, efetivamente, vão fazer a diferença no dia-a-dia das pessoas e dos nossos clientes»,
Os profissionais a contratar deverão ter grau académico em Informática, preferencialmente mestrado, e com bons conhecimentos de algumas tecnologias chave, como Java, bases de dados (sobretudo SQL), ‘webservices’, CSS e JavaScript. Conhecimentos em ‘frameworks’ como Spring, Angular e React são também valorizados, e no caso de candidatos com alguma experiência a prática em ferramentas de controlo de versões e ‘build’. Os interessados podem candidatar-se através do ‘site’ da Opensoft, aqui.
Recentemente, foi lançada uma nova imagem dedicada ao recrutamento da Opensoft. «Passa do Java à realidade» é um dos reptos lançados pela campanha, que vai decorrer nas plataformas digitais e nas universidades, através de eventos organizados por grupos de alunos de Informática, feiras de emprego e programas de estágios curriculares.
O CEO da empresa refere ainda: «O atual contexto pandémico transferiu as feiras de emprego e os eventos presenciais para o ‘on-line’, mas não podemos descurar esta importante fonte de recrutamento. Em 2021 vamos estar mais uma vez presentes em várias ‘jobshops’, entre elas a FISTA, organizada pelo ISCTE, a SINFO, do Instituto Superior Técnico, e o evento da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova. Será uma forma diferente de contactar com os estudantes, esperando que o regresso aos eventos presenciais seja o mais célere possível.»
01.03.21

pub3