‘Outsourcing’ de processamento salarial Notícia

Empresa tecnológica especialista em processamento salarial e gestão administrativa de recursos humanos, a Seresco cumpre 16 anos no mercado português que coincidem com cinco anos de escritório físico no centro de Lisboa, e uma equipa especializada e em expansão. A nível ibérico, são mais de 165 mil salários processados por mês, para empresas nacionais e multinacionais. Os mais recentes clientes em Portugal incluem marcas de distintos sectores, como Tech Data, Jumia e Meliá Hotels International.
Num balanço, naquele que está a ser um ano totalmente atípico e de difícil previsão para o que o futuro nos trará, a marca assinala que houve um abrandamento relacionado com a incerteza futura, entre abril e agosto, mas que por outro lado está a manter-se, desde o início de setembro, uma procura pelos serviços de ‘outsourcing’ de processamento salarial, uma tendência que é de crescimento, e que continua a refletir-se no negócio e na estrutura em Portugal. Esta situação não deixa de ser animadora, numa altura em que estamos à porta daquela que é a segunda vaga em Portugal.
Com uma presença significativa no mercado nacional, e apesar do momento de crise global que vivemos motivada pela pandemia Covid-19, a Seresco divide o negócio do mercado português em duas partes, com características de projeto distintas: 1. a negociação local e com tomada de decisão mais próxima, correspondente ao tecido empresarial nacional (procura-se soluções de salários e soluções que permitem aos empregados conectar-se à distância com a empresa através de soluções como o Portal de Empregado); 2. a negociação internacional, que na maioria das vezes provém de projetos de externalização global das multinacionais ou, simplesmente, justificadas pela ausência física dos responsáveis de recursos humanos, muitas vezes não alocados em Portugal. Esta parte internacional já se caracteriza por necessidades distintas, consequência de políticas e necessidades internas aos grupos a que pertencem.
Rita Mourinha, o rosto da Seresco em Portugal e responsável da área comercial, sublinha que «a Seresco tem crescido mundialmente de forma sustentada», acrescentando: «A empresa-mãe completou 50 anos em 2019, um feito de que poucas empresas tecnológicas se podem hoje regozijar. A carteira de clientes da Seresco é constituída por organizações de todos os sectores, bem como por diversas instituições do sector público. Ao longo dos anos, desenvolveu uma sólida política de alianças com empresas como a Microsoft e a Oracle, entre outras, com as quais mantém alianças.»
09.10.20

pub3