Regresso às aulas em contexto de pandemia Notícia

O Ministério de Educação de Angola está a ter o apoio do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) no regresso às aulas em tempos de pandemia. Tudo acontece através de um manual de orientações e de uma formação à distância dirigida a formadores nacionais e provinciais. A primeira fase decorreu entre 30 de novembro e 4 de dezembro, sendo o primeiro passo de uma «cascata de formação» que, no final, prevê abranger cerca de 200 mil docentes dos ensinos primário e secundário angolanos.
A iniciativa, que envolveu oito docentes da Escola Superior de Educação (ESE/IPS), insere-se no âmbito do Projeto Aprendizagem para Todos (PAT) – Formação Contínua dos Professores do Ensino Primário em Angola, que decorre já há quatro anos, numa parceria entre o IPS e a Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), e que até ao momento já abrangeu 15 mil professores angolanos.
Dada a impossibilidade de trabalhar no terreno, na sequência das cercas sanitárias impostas a várias províncias para conter a pandemia, o PAT reorientou entretanto a sua intervenção para apoiar o regresso às aulas com segurança e confiança. Deste trabalho, que decorre desde o último mês de abril, com a colaboração das instituições educativas angolanas, nomeadamente o Instituto Nacional de Formação de Quadros para a Educação (INFQE) e o Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação (INIDE), resultou o «Manual de Orientações para o Retorno às Atividades Letivas», já publicado. Paralelamente, foi concebido um plano de divulgação e formação dirigido a educadores, professores e elementos-chave das comunidades, como as comissões de pais, as organizações não-governamentais (ONG) e as igrejas.
O referido plano, centrado nas normas de segurança e cuidados sanitários, prevê uma formação em cascata, com quatro níveis, através da plataforma Zoom, cuja primeira fase, abrangendo um total de 125 formadores nacionais e provinciais, das 18 províncias de Angola, terminou há dias, tendo sido ministrada pelos docentes da ESE/IPS Nelson Matias, José Duarte, Miguel Figueiredo, Ana Sequeira, Fátima Mendes, Fernando Botelho, Helena Simões e Joana Brocardo. 
Ao longo de 100 páginas e dividido em dois grandes capítulos, o «Manual de Orientações para o Retorno às Atividades Letivas» pretende, por seu turno, dotar os professores de um conjunto de ideias sobre atitudes a assumir e atividades a desenvolver, apropriadas aos tempos de pandemia, e apresentar alguns projetos educativos, a desenvolver na escola e na comunidade, concebidos pela equipa da ESE/IPS.

16.12.20

pub3