Menor qualidade de vida no trabalho Notícia

Em 2018, o Índice Sodexo de Qualidade de Vida no Trabalho (IQVT), ferramenta que mede a percepção dos brasileiros em relação à qualidade de vida no trabalho, foi de 6,21 pontos (numa escala de 0 a 10), o que traduz uma queda de 4% em relação ao mesmo período no ano passado (6,48 pontos).
A análise de 13.159 respostas de trabalhadores por todo o país durante o ano passado mostrou ainda que todas as dimensões de qualidade de vida no trabalho, que influenciam diretamente a percepção e a experiência de um indivíduo, apresentaram queda, com reduções que variam de 2% a 6%. Os tópicos relacionados interação social (6,57 pontos) e reconhecimento (5,55 pontos) foram os que mais caíram no período: 6% e 5%, respectivamente.
Fernando Cosenza, vice-presidente de ‘marketing’ da Sodexo Benefícios e Incentivos, assinalou: «O cenário político indefinido que permeou o ano de 2018, em virtude da eleição presidencial e do impasse das reformas tributária e da previdência, além da leve retomada no crescimento da economia e da redução da taxa de desemprego, provocaram instabilidade económica, limitando o investimento das empresas e impactando no ambiente de trabalho. Tal redução impactou diretamente a percepção de tópicos relacionados à promoção no trabalho e treinamentos profissionais, que acumularam as piores notas durante o período, 4,57 e 4,70 pontos, respectivamente. O resultado também apontou que a avaliação sobre a qualidade de vida no trabalho é maior entre homens do que entre mulheres – 6,29 pontos contra 6,19 –, e que o reconhecimento (6,66 pontos) e saúde e bem-estar (6,61 pontos) são os factores com maiores índices de satisfação em comparação com 2017.»
O segmento com maior índice de satisfação foi sistemas/ tecnologias de informação (TI) (6,61 pontos) e o de menor índice foi a área de produção (5,94 pontos).
Já a região do país com o maior índice de qualidade de vida no trabalho e satisfação profissional foi a norte (6,43 pontos) e a de menor a sudeste (6,09 pontos).
O responsável assinalou ainda: «O resultado mostra também que a satisfação com itens relacionados com a interação social, como apoio do gestor, ferramentas para partilhar conhecimento e respeito com o qual o colaborador é tratado no ambiente de trabalho, apresentou uma queda de 6% em comparação a 2017, o que enfatiza ainda mais a insatisfação dos entrevistados. Continuaremos monitorando e analisando o indicador com o objectivo de acompanhar o ambiente e a produtividade nas organizações.»
27.03.19

pub3