Jerónimo Martins premeia colaboradores Notícia

O Grupo Jerónimo Martins decidiu aumentar para o montante de 475 euros o prémio anual através do qual partilha com os colaboradores, sobretudo das operações (lojas e logística), a satisfação com os resultados atingidos em 2018. Este prémio individual, cujo valor é igual nos três países onde o grupo opera, abrange cerca de 80% dos colaboradores e corresponde a um montante global de 38 milhões de euros, equivalente a aproximadamente 10% dos resultados líquidos consolidados alcançados no ano passado.
O Conselho de Administração aprovou a proposta do seu presidente, Pedro Soares dos Santos, no sentido de aumentar o valor deste prémio em cerca de 6% face ao ano anterior.
O Grupo Jerónimo Martins emprega actualmente cerca de 108.500 colaboradores, 30% dos quais em Portugal, onde em 2018 criou 713 postos de trabalho.
Este prémio, de natureza extraordinária, acumula com a remuneração variável mensal em vigor e com os programas e as acções de apoio aos colaboradores nas áreas de saúde, educação e bem-estar familiar, nas quais no ano passado, em Portugal, o grupo investiu mais de 2,7 milhões de euros.
Na saúde, foram investidos mais de um milhão de euros em iniciativas como os programas SOS Dentista e SOS Dentista Júnior, através dos quais 479 colaboradores e 107 filhos de colaboradores terminaram os tratamentos, ou o programa Mais Vida, que apoia colaboradores e familiares directos com doença oncológica.
No âmbito da educação, foram investidos mais de 800 mil euros. Destaca-se a atribuição de mais de 100 bolsas de estudo a colaboradores e filhos de colaboradores que não tiveram apoios estatais, ou o programa Regresso às Aulas, que consiste na atribuição de um ‘kit’escolar – oferecido a cerca de 800 crianças –, descontos e condições especiais de pagamento de manuais e material escolar, assim como na distribuição gratuita de manuais a famílias numerosas.
Na área de bem-estar familiar, em 2018 o grupo investiu, em Portugal, perto de 880 mil euros, que incluem os mais de 640 mil euros alocados ao Fundo de Emergência Social, que apoiou mais de 700 colaboradores nas áreas da alimentação, saúde, educação, aconselhamento jurídico e orientação financeira.

 

03.05.19

 

pub3