75% mentem no currículo Notícia

Com a escassez de oportunidades de emprego e o aumento da competitividade no mercado de trabalho, muitos profissionais recorrem a práticas impróprias, como inserir dados falsos no currículo a fim de ganhar destaque. Um levantamento feito pela DNA Outplacement apontou que 75% dos currículos enviados aos departamentos de recursos humanos das empresas em 2018 no Brasil continham informações distorcidas.
Realizada durante seis meses com 500 empresas, a pesquisa revela quais as principais mentiras encontradas nos currículos: valor do salário actual – ou recebido no último emprego (48%) – e fluência no inglês (41%). O tempo de inactividade e o grau de escolaridade e cursos realizados são outros tópicos deturpados nos currículos, por 12% e 10% dos profissionais, respectivamente.
O estudo identificou que mentir a prática é comum tanto entre quem está a entrar no mercado de trabalho como entre os que possuem carreira consolidada e estão em processo de recolocação.
Mais informações aqui.
22.05.19

pub3