Apoio ao ensino politécnico na Guiné-Bissau Notícia

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) recebeu no dia 25 de Julho a visita do ministro da Educação Nacional e Ensino Superior da Guiné-Bissau, Daurtarin Costa, para uma reunião de trabalho sobre o projecto de criação de uma rede de ensino politécnico naquele país, no âmbito do programa de cooperação entre Portugal e a Guiné-Bissau. 
O governante guineense foi acompanhado pelo secretário de Estado português da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, tendo-se reunido com a presidência e os directores das cinco escolas superiores do IPS.
Além da língua em comum e dos laços históricos e culturais, Portugal surge neste processo como um parceiro estratégico da Guiné-Bissau pelo seu «sistema de ensino hoje altamente reconhecido em todo o lado», justificou Daurtarin Costa, expondo a urgência de «aumentar os níveis de formação dos guineenses e de, em simultâneo, ganhar sustentabilidade para o nosso processo de desenvolvimento».
É neste contexto que surge a ideia de criação do Instituto Politécnico da Guiné-Bissau, com vários pólos no interior do país, associados a sectores estratégicos, e tendo como referência «a dinâmica que os politécnicos têm em Portugal, de forte relação com as respectivas comunidades».
No encontro, o secretário de Estado João Sobrinho Teixeira realçou «a responsabilidade de Portugal neste processo, dada a ligação histórica e afetiva que une os dois países», e justificou a visita ao IPS pelo seu estatuto de referência nacional no que respeita à formação e à ligação ao próprio território. «Viemos até Setúbal para ver um bom politécnico e perceber o seu impacto no desenvolvimento desta região», reconheceu.
Da parte do IPS, o Ministério da Educação e Ensino Superior Guineense poderá «contar com toda a disponibilidade, capacidade e vontade de cooperar, alicerçadas na experiência que temos com outros países», referiu na ocasião o presidente, Pedro Dominguinhos.
A visita do governante guineense centrou-se, para já, em três projectos emblemáticos que estão em curso na Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/ IPS), nomeadamente o programa de formação «BrightStart» e a Oficina Lu Ban Portuguesa, em parceria, respectivamente, com a consultora Deloitte e o Governo Municipal de Tianjin, China, e também o Innovation Lab. 
02.08.19

 

pub3