Primavera: responsável de Moçambique assume Angola Notícia

A tecnológica Primavera BSS anunciou que José Simões (na foto), até ao momento country manager de Moçambique, irá assumir também a coordenação do mercado angolano, passando agora a comandar as estruturas locais da empresa em ambas as geografias.
Formado em «Engenharia Informática» pela Universidade do Minho e com um MBA na Porto Business School, José Simões tem feito a sua carreira profissional na Primavera BSS, na qual ingressou em 2008 enquanto consultor para o sector da indústria no mercado ibérico. Dois anos mais tarde, assumiu as funções de diretor comercial para os sectores da indústria e retalho e em 2012 rumou a Moçambique, onde desempenhou o cargo de diretor da unidade de consultoria, até ser nomeado country manager em 2013.
José Dionísio, co-‘chief executive offier’ (co-CEO) da Primavera BSS, assinalou: «Na sequência do excelente trabalho desenvolvido nos últimos anos pelo Sérgio Lopes, entendemos convidar o José Simões, quadro com imensa experiência de Primavera e dos mercados africanos, a acumular a sua missão em Moçambique com a idêntica gestão da operação angolana. Apesar das crises económicas prolongadas pelas quais ambos os países têm passado, vemos em cada um deles um imenso conjunto de oportunidades por explorar, para além da absoluta necessidade de mantermos o apoio aos nossos parceiros e clientes.»
A Primavera BSS, que há cerca de 20 anos tem presença crescente nos PALOP (países africanos de língua oficial portuguesa), reforça desta forma a sua confiança no futuro destes mercados, mantendo as suas operações em plenitude de funcionamento e garantindo um acompanhamento de proximidade à rede de parceiros locais.
O mercado angolano representa a segunda maior operação da Primavera BSS depois da portuguesa. A tecnológica conta com cerca de 3.000 clientes ativos em Angola e Moçambique, essencialmente empresas de média e grande dimensão. As estruturas locais nestes mercados são constituídas por cerca de 50 colaboradores que, para além de desenvolverem iniciativas de âmbito comercial, garantem a evolução das competências do canal de parceiros e de utilizadores dos seus produtos e serviços de consultoria em ambientes de projecto mais complexos.
23.02.18










<< Retroceder

pub3