Contratações no turismo devem crescer Notícia

O «ManpowerGroup Employment Outlook Survey» para o terceiro trimestre de 2017 – um estudo realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 625 empregadores em Portugal – revela que estes empregadores manifestam intenções de contratação optimistas para o referido trimestre, com destaque para os ligados ao turismo (sector da restauração e hotelaria), que fazem uma projecção para a criação líquida de emprego de 29%, logo seguidos pelos empregadores dos sectores de finanças, seguros, imobiliário e serviços, também com uma projecção bastante favorável, na ordem dos 23%.
Em termos gerais, o estudo do ManpowerGroup revela que 15% dos empregadores portugueses inquiridos preveem um aumento de contratação no terceiro trimestre deste ano, 3% antecipam uma redução e 79% consideram que não haverá alterações nos níveis de contratação – o que dita uma projecção para a criação líquida de emprego de mais 12% no período em referência.
Perspectiva-se assim que neste período a contratação aumente nos nove sectores de actividade considerados no inquérito. Para além dos sectores já referidos, também os empregadores do sector do comércio grossista e retalhista reportam perspectivas de contratação muito optimistas, de 19%, enquanto outras previsões assinaláveis de crescimento acompanham o sector de transportes, logística e comunicações e o sector público, com 14% e 10%, respectivamente. O sector mais cauteloso nas projecções é o de fornecimento de eletricidade, gás e água com uma previsão de apenas 2%.
Em comparação com o trimestre anterior, as previsões de contratação melhoram em seis dos nove sectores identificados. O turismo (sector da restauração e hotelaria) reporta uma melhoria de 13 pontos percentuais, enquanto o sector público e os sectores de transportes, logística e comunicações e de comércio grossista e retalhista revelam melhorias de seis pontos percentuais. Contudo, as previsões decrescem em três sectores, incluindo o de agricultura, florestas e pescas, em que os empregadores revelam uma previsão que retrai nove pontos percentuais e o sector de fornecimento de electricidade, gás e água onde se prevê um decréscimo de seis pontos percentuais.
Se é real que os empregadores nas três regiões (norte, centro e sul) antecipam um aumento da contratação durante os próximos três meses, a verdade é que as melhores perspectivas são as dos empregadores a sul, que projectam uma criação líquida de emprego de 21%. Tanto no centro como no norte é antecipado um aumento otimista de 11% e 10%, respectivamente.
Comparativamente com o trimestre anterior, a maior evolução acontece no sul, com uma subida de nove pontos percentuais. Na região centro, a melhoria é de dois pontos percentuais e no norte não se regista alteração.
As projecções para a criação líquida de emprego apontam para um crescimento maior, de 21%, nas grandes empresas, e um crescimento sustentado e estável, de 14% e 13%, respectivamente nas pequenas e nas médias empresas (PME). As microempresas também preveem crescimento, embora mais baixo, de 8%.
Os dados completos de cada um dos 43 países e territórios incluídos no inquérito do terceiro trimestre de 2017, bem como as comparações regionais e globais, podem ser consultados na íntegra aqui. Os resultados do próximo inquérito serão divulgados a 12 de Setembro e revelarão as perspectivas do mercado de trabalho para o último trimestre do ano.
19.06.17

<< Retroceder

pub3